Vai e sê fiel. Jesus tem pressa

Em um tempo de aridez espiritual como o nosso, certamente que aqueles que optaram por serem mensageiros da verdade deverão se precatar contra as armadilhas das sombras.

Desde os tempos apostólicos, o sopro da Divindade tem inspirado muitos ao desiderato de conduzir a luz espiritual aos que caminham às escuras, apontando alguma nesga de realidade aos desiludidos e servos da ignorância. Ocorre que tal mister tem seu preço, sobretudo quando a má fé e a arrogância se mancomunam na conspiração para deter os vexilários da luz.

Não se pode ignorar que existem muitos interesses regidos pelo materialismo, usurpando da sociedade o direito à sua libertação dos grilhões da manipulação criminosa, impedindo que os homens se tornem senhores da própria caminhada. Assalariados da ilusão, buscam ocultar a verdade, impondo seus projetos de hegemonia no seio dos povos nos quais copiam a hera devoradora sobre muros frágeis. Qualquer voz que se levante na massa de povo contrária aos seus propósitos ignóbeis deve ser silenciada, garantindo o predomínio dos manipuladores da vontade popular.

Paulo, o incansável servidor do Evangelho nascente, experimentou o contato com estes equivocados em seu tempo, conforme os abundantes relatos contidos em Atos dos Apóstolos. Inquebrantável em seu propósito, o filho de Tarso prosseguiu sua tarefa de semear a Boa Nova nos corações, pagando o preço que lhe era inevitável. Prisões, açoites, risco de linchamento em algumas vilas, interrogatórios humilhantes fizeram parte de sua acidentada trajetória, culminando com sua prisão em Roma e consequente decapitação.

Se já não enfrentamos, nos dias hodiernos, essa perseguição gratuita, não podemos desconhecer o terreno onde estamos pisando quando adotamos a ética de Jesus na conduta e ajustamos ao verbo que nos é próprio os ensinamentos libertadores da revelação cristã.

Lobos vestidos de ovelhas nos espreitarão a marcha, buscando ocasião de nos projetarem no precipício.

Palavras que venhamos a proferir serão distorcidas para atendimento de interesses escusos.

Alguns buscarão nos abater em plena atividade, silenciando nossa facúndia para que não liberte os filhos da ilusão.

Em tempos de aparências e dissimulações, onde vultosos interesses financeiros estão em jogo, nem sempre estaremos cercados de correligionários ou amigos de confiança. Muitos, espalhados na multidão, estarão atentos ao jogo contrário, manipulando pessoas e circunstâncias para que suas empresas, firmadas na mentira e vaidade, não sejam desmontadas ante a chegada da verdade.

Os atuais discípulos da mensagem de Jesus estão devidamente alertados acerca desses dias de inquietação nas almas. Voluntários da imensa obra de evangelização da Terra, que Ele iniciou há vinte séculos, estamos conscientes dos riscos e dos perigos que nos espreitam na estrada, mas igualmente sabemos que o bom pastor sabe como defender Suas ovelhas.

Em armadilhas de lobos caem apenas lobos.

Enquanto muitos se entredevoram no canibalismo moderno, derrubando o que segue à frente para ocupar-lhe o lugar, os que seguem na retaguarda igualmente arquitetam remover os que marcham na vanguarda, numa interminável luta por poder e fastígio, projeção do ego e vaidade doentia.

Os servos da luz caminham nas estradas poeirentas do mundo, de vila em vila, espalhando a esperança. Não possuem a garantia do farnel, ignoram quando vão matar a sede em alguma fonte perdida e sob cansaço indescritível atendem às massas esfaimadas, lhes prodigalizando orientação e amparo nos momentos difíceis.

Falam pouco e escutam muito.

A jornada é árdua e o descanso escasso.

Antes que o sol banhe as estradas, já estão em marcha. E mesmo quando o crepúsculo decreta o fim do dia, ainda estão confabulando com os filhos da noite.

Seu teto, cada madrugada, se constitui de estrelas.

Visitados pela dor e pela saudade, choram em silêncio, lavando o rosto em seguida para atenderem os filhos do calvário com um sorriso na face.

Por muito tempo ainda teremos esses contrastes predominando na Terra em transição.

A treva em agonia e a luz em êxtase.

A ignorância se agitando para manter domínio sobre mentes e corações, e a verdade rutilando como um sol de primavera, esbatendo as sombras teimosas nos céus íntimos.

Foste chamado um dia.

Ele te fez emissário de uma boa notícia.

Te deu o roteiro e apontou onde devias semear.

Tens contigo as palavras de vida eterna. Que importa os contrários?

Como perder tempo com questões secundárias?

A passagem pelo corpo é fugidio minuto entre o berço e o túmulo, e importa agora espalhar a Boa Nova, convocando os invígeis para o despertamento que tarda.

Há sedentos aguardando a água da fonte viva que portas. E sempre haverá os empreiteiros do crime, famélicos de dominação e arbítrio.

Cuida de tua seara. Espalha tuas sementes. Esparge a alegria e o otimismo entre os tombados.
Reergue muitos caídos.

Acalenta os corações que se privaram da fé.

Ele nunca te solicitou sacrifícios. Pediu apenas misericórdia em favor dos esquecidos, seus preferidos de todos os tempos.

Vai e sê fiel. Jesus tem pressa.

Autor: Marta (Espírito)
Psicografia: Marcel Mariano
Juazeiro, 15.06.2021

 

68 Visita(s) a esta matéria.