Um Lugar Chamado Notting Hill

Sinopse: Will (Hugh Grant), pacato dono de livraria especializada em guias de viagem, recebe a inesperada visita de uma cliente muito especial: a estrela de cinema americana Anna Scott (Julia Roberts). Dois ou três encontros fortuitos mais tarde, Will e Anna iniciam um relacionamento tenro, engraçado e cheio de idas e vindas.

Pontos positivos: O primeiro ponto positivo do filme, para mim, vai para seu elenco, eu gosto bastante do elenco desse filme, acho que, de modo geral, tanto os protagonistas como os secundários estão muito bem. Mas queria destacar principalmente o Hugh Grant, que consegue passar perfeitamente aquela ideia do homem simples, aquele cara que tem a sua vida e gosta dela e o outro destaque a atriz Julia Roberts, que também faz um trabalho incrível, na parte de ser alguém famoso, mas que está em duvidas do que quer da vida, se gosta da fama, acho bem interessante. Outro ponto muito positivo do filme vai para a química entre os dois protagonistas, pois, além de serem atores ótimos, juntos funcionam muito bem, eles têm uma química muito boa, inclusive, a química é tão boa que você torce, em vários momentos, para eles ficarem juntos. Eu gosto da mensagem do filme, acho uma mensagem boa, não é o primeiro filme que tenta passar isso, mas, mesmo assim, é uma boa mensagem. Um ponto muito positivo do filme, para mim, vai para os diálogos, tanto entre os protagonistas, como quando tem muita gente em cena, são diálogos muito bons e muito bem feitos. Outra coisa muito boa do filme vai para a direção, eu gosto muito da direção desse filme, o diretor sabe construir muito bem uma cena, gosto como em vários momentos ele tenta deixar uma câmera bem viva fazendo, com quem está assistindo o filme, faça parte das cenas, sinta parte do que está acontecendo ali e eu acho isso muito interessante e muito bem feito.

Pontos negativos: O primeiro ponto negativo do filme, para mim vai para os personagens secundários, não que os personagens secundários sejam ruins, na verdade, eu achei quase todos muito interessantes, inclusive, alguns tem uma história que queria ver mais, mas, infelizmente, o filme usa muito pouco eles e acho que foi uma chance desperdiçada, pois, perderam a oportunidade de expandir a história de personagens importantes e, através dos secundários, mostrar mais dos protagonistas. Outro ponto negativo do filme vai, um pouco, para seu humor, eu sei que é um humor mais inglês e que não funciona para todo mundo, afinal, ele é bem diferente do que vemos normalmente no cinema, mas ele não funcionou para mim, não ri em nenhum momento. Inclusive, o filme tem um alivio cômico que para mim é uma das piores coisas do filme, disparado, um personagem chato, que sempre que aparece em cena incomoda, eu o tiraria do filme, com certeza. Outro ponto negativo do filme para mim é que ele demora um pouco para engrenar, claro que quando engrena o filme funciona muito bem, mas, até lá demora e isso acaba virando um problema. Eu acho que o filme poderia ser um pouco menor também, poderiam ter terminado um pouco antes, tanto que teria um final perfeito, não que isso estrague o filme, mas seria um pouco melhor.

Dica: Eu adoro os protagonistas desse filme, a Julia Roberts e o Hugh Grant, eu sempre achei eles ótimos atores e adoro ver filmes com eles. Eu sei que são grandes atores e todos conhecem suas carreiras, mas minha dica é para ir atrás de outros filmes deles, por isso vou recomendar os meus favoritos. Filmes da Julia Roberts: Uma Linda Mulher, O Sorriso de Mona Lisa, Lado a Lado, Onze Homens e um Segredo. Filmes do Hugh Grant: Razão e Sensibilidade, Letra e Música, Amor à Segunda Vista, O Diário de Bridget Jones.

Curiosidade: Devido ao seu enorme sucesso, a porta azul da casa onde morava Hugh Grant foi retirada pelos donos e enviada para um leilão de artefatos ligados a filmes famosos. O motivo foi que, depois da estreia, várias pessoas iam até a casa só para bater na porta ou tocá-la, e conhecer a casa que serviu de locação para o filme. No filme, Anna Scott diz que recebeu 15 milhões de dólares pelo seu último papel no cinema. Foi exatamente esta a quantia recebida por Julia Roberts para estrelar Um Lugar Chamado Notting Hill. Hugh Grant e o diretor Roger Michell haviam trabalhado juntos anteriormente, em Quatro Casamentos e um Funeral (1994).

Conclusão: Eu gosto desse filme, acho um elenco muito bom, a história é boa, eu gosto do diretor, também. Mas mesmo assim tem muitas coisas que eu não gosto. Por ser um filme inglês, ele traz piadas e jeitos de contar a história, diferente do convencional, então, não sei se todos vão gostar. Mas eu acho um bom filme, pode ir ver sem medo, tenho certeza que se procura um bom filme para passar o tempo, você vai gostar.

Fonte: https://oespectadorrabugentoblog.wordpress.com/2019/03/26/um-lugar-chamado-notting-hill-critica/

11 Visita(s) a esta matéria.