Sarampo: crianças devem ser vacinadas antes de viajar para locais de surto

Atualmente, 39 cidades em três estados brasileiros (SP, RJ e PA) se mantém com surto ativo, ou seja, com crescimento do número de casos confirmados da doença. (VEJA.com/Thinkstock)

O Ministério da Saúde alerta que crianças de 6 meses a menores de um 1 de idade devem ser imunizadas antes de se deslocarem para cidades com surto da doença.

Nesta terça-feira, o Ministério da Saúde publicou um alerta para que pais, mães e responsáveis que vão viajar com filhos de seis meses a menores de um ano de idade para municípios em situação de surto de sarampo no país, vacinem as crianças. A recomendação é que todas essas crianças nesta faixa etária sejam imunizadas no mínimo 15 dias antes da data prevista para a viagem.

Atualmente, 39 cidades em três estados brasileiros se mantém com surto ativo, ou seja, com crescimento do número de casos confirmados da doença. São eles: São Paulo, Pará e Rio de Janeiro. Além de proteger, a medida de segurança pretende interromper a cadeia de transmissão do vírus do sarampo no país.

Dose zero e calendário vacinal

A dose aplicada nesse público é chamada de “dose zero” e não substitui as doses do calendário nacional de vacinação, que devem ser aplicadas normalmente aos 12 e aos 15 meses de idade. Portanto, além da dose recomendada atualmente para as crianças que vão viajar para a áreas de surto, os pais e responsáveis devem levar os filhos para tomar a vacina tríplice viral aos 12 meses de idade (1ª dose); e a tetra viral ou a tríplice viral + varicela aos 15 meses (2ªdose). A vacinação de rotina das crianças deve ser mantida independentemente do planejamento de viagens para os locais com surto ativo do sarampo ou não.

Vale ressaltar que as vacinas não protegem somente contra o sarampo. A tríplice viral previne também contra rubéola e caxumba e a tetra viral, contra as três anteriores mais a catapora.

Municípios do Estado de São Paulo com surto de sarampo

  • São Paulo
  • Santos
  • Fernandópolis
  • Santo André
  • Guarulhos
  • São Bernardo do Campo
  • São Caetano do Sul
  • Mauá
  • Ribeirão Pires
  • Mairiporã
  • Pindamonhangaba
  • Sorocaba
  • Diadema
  • Indaiatuba
  • Osasco
  • Barueri
  • Caçapava
  • Caieiras
  • Embu
  • Estrela D’Oeste
  • Francisco Morato
  • Hortolândia
  • Itapetininga
  • Itaquaquecetuba
  • Jales
  • Mogi das Cruzes
  • Peruíbe
  • Praia Grande
  • Ribeirão Preto
  • São José dos Campos
  • Taboão da Serra
  • Taubatéopas

Municípios do Estado do Rio de Janeiro com surto de sarampo

  • Rio de Janeiro
  • Paraty
  • Nilópolis
  • Municípios do Estado do Pará com surto de sarampo
  • Monte Alegre
  • Santarém
  • Porto do Moz
  • Prainha

Sarampo no Brasil

De acordo com o último boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, foram confirmados 907 casos de sarampo no Brasil no período de 05 de maio a 03 de agosto de 2019, em três estados: São Paulo (901), Rio de Janeiro (5) e Bahia (1). O coeficiente de incidência da doença foi de 0,4 por 100.000 habitantes.

Desde o ano 2000 o país não registrava casos autóctones (contraídos dentro do país) de sarampo. Porém, desde o ano passado o país enfrenta surto da doença, com transmissão interna. Diante da falta de controle da situação, em fevereiro deste ano, o Brasil perdeu o certificado de país livre de sarampo emitido pela Organização Pan Americana da Saúde (Opas). Atualmente, há um esforço para eliminar novamente a transmissão do vírus no país. Manter altas e homogêneas coberturas vacinais na população é a única forma de fazer isso.

No momento, estão sendo realizadas campanhas locais de vacinação, nos Estados com surto. Segundo o Ministério, não está prevista a realização de campanhas adicionais de vacinação contra a doença, em outros locais. Entretanto, ressalta-se que a vacinação de rotina está mantida na rede de serviço do SUS, conforme as indicações do calendário nacional de vacinação.

Fonte: Veja

174 Visita(s) a esta matéria.