O Natal e seu significado

Por Augusta de Cássia Silva Santos

Estamos finalizando mais um ciclo de nossas vidas, mas um ano termina. Momento de muita reflexão sobre como nós fomos durante todo esse período, o que aprendemos, que fizemos para melhorar nossa sociedade, se houve mudanças positivas em nossos comportamentos e atitudes.
Mudanças que precisam acontecer para a nossa evolução moral e espiritual realizadas diariamente pois, o Cristo redivivo, reencarnou para nos ensinar a como amar o nosso próximo como a nós mesmos.

O Evangelho Segundo o Espiritismo afirma que o maior mandamento é amar ao próximo como a si mesmo:

Os fariseus, tendo sabido que ele tapara a boca aos saduceus, reuniram-se; e um deles, que era doutor da lei, para o tentar, propôs-lhe esta questão: – “Mestre, qual o mandamento maior da lei?” –Jesus respondeu: “Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu espírito; este o maior e o primeiro mandamento. E aqui tendes o segundo, semelhante a esse: Amarás o teu próximo, como a ti mesmo. – Toda a lei e os profetas se acham contidos nesses dois mandamentos.” (S. MATEUS,22: 34 a 40.)

“Amar o próximo como a si mesmo: fazer pelos outros o que quereríamos que os outros fizessem por nós”, é a expressão mais completa da caridade, porque resume todos os deveres do homem para com o próximo. Não podemos encontrar guia mais seguro, a tal respeito, que tomar para padrão, do que devemos fazer aos outros, aquilo que para nós desejamos. Com que direito exigiríamos dos nossos semelhantes melhor proceder, mais indulgência, mais benevolência e devotamento para conosco, do que os temos para com eles? A prática dessas máximas tende à destruição do egoísmo. Quando as adotarem para regra de conduta e para base de suas instituições, os homens compreenderão a verdadeira fraternidade e farão que entre eles reinem a paz e a justiça. Não mais haverá ódios, nem dissensões, mas, tão-somente, união, concórdia e benevolência mútua.

A nossa reflexão começa com este mandamento. Será que estamos praticando o amor ao próximo? Quem é o meu próximo? A minha prática começa com os meus? Estamos aguardando o Natal como mais uma comemoração com doces e bebidas como forma apenas de festejo? São questões simples, mas, profundas.

A final o que é o Natal? A palavra Natal significa nascimento, surgimento. No dia 25 de dezembro é representando o nascimento de Cristo, momento em que arrumamos a árvore, com sua forma triangular de pinheiro, que representa a Santíssima Trindade. No Brasil, o costume de enfeitar a árvore surgiu no início do século XX, orienta-se que o ideal é ir montando aos poucos a árvore do início do mês e finalizar no dia 25, com a colocação da estrela de Belém no topo. Essa estrela é um importante enfeite que, segundo a história, ela guiou os três Reis Magos até o local do nascimento de Jesus.

Outro símbolo importante é o Papai Noel, inspirado no Bispo São Nicolau que foi canonizado santo pela igreja católica. Ele ajudava os pobres e desamparados.

Os presentes estão relacionados a história dos três Reis Magos que levaram como presentes para o Cristo, ouro, mirra e incenso.

No século XIII, São Francisco de Assis, reproduziu outro símbolo importante para o Natal, o presépio que representa o nascimento de Jesus. Já a guirlanda, feita com ramos verdes e frutas vermelhas faz referência a coroa que foi colocada no Cristo durante a crucificação, tendo o sangue representado pelas frutas vermelhas. Entende-se, de acordo com a história, que colocar uma guirlanda na porta de casa é um convite para que o espírito de Natal entre em sua casa.

A vela serve para iluminar os caminhos da humanidade, na tentativa de saída das trevas.

A ceia, momento de fartura, de união das famílias, compartilhamento, de lembrar daqueles que nada tem para servir em sua mesa.

Após entendermos um pouco sobre o significado de cada símbolo do Natal, só nos resta refletir sobre a necessidade de mudança de comportamento; sobre o amor ao próximo e o que de fato, a maioria de nós entende e comemora o Natal.

O legítimo Natal, sua representação como nascimento do Cristo tem um sentido mais profundo do que o simples ato de organizar e enfeitar a casa e convidar a família para a ceia. É um momento de conectar-se com o Cristo, com o verdadeiro Amor e compreender os verdadeiros valores e propósitos dessa oportunidade que o Senhor nos concedeu, a vida.

Desejamos a todos, excelentes momentos de reflexões natalinas!

129 Visita(s) a esta matéria.