O Cristo conta contigo

Observa. Reflete.

Um novo dia despontou no horizonte, renovando tuas forças e te insuflando otimismo para as tarefas a realizar.

Algum alimento te será ofertado por mãos amigas, seja de um familiar ou de uma cozinheira cansada de lutas, que no hotel te atende à exigência de proteínas.

Alguém surgirá no meio da manhã, trazendo alguma chaga da alma, à cata de um conselho ou orientação de tua parte para que não sucumba de vez ao pessimismo.

E a manhã sequer atingiu a metade e a vida te convoca a atender outrem em penúria de esperança, assaltada por alguma aflição oculta que os olhos do mundo não conseguiram ver.

Tua refeição principal surgiu sem que fizeste qualquer esforço para obtê-la. Uma mãezinha devotada passou a manhã inteira na cozinha, garantindo teu almoço sem sobressaltos.

Começa a tarde e por alguma via remota atendes essa ou aquela pessoa em um caso de urgência.

Um parente próximo pede algum recurso financeiro para suprir a dispensa vazia.

Outro, informa enfermidade grave em pessoa de tua consanguinidade, simplesmente rogando tuas orações.

Um amigo vem trazer um informe de preocupação acerca de um filho em desvio moral, te buscando um conselho.

Um telefonema te convoca a atender uma alma em perigo.

O crepúsculo te arrebata na policromia das cores, tingindo o céu de rubro. O astro rei pede licença e sai de cena. Selene triunfa no céu, pontuado de pirilampos divinos.

Uma palestra te aguarda.

Uma aula a ministrar.

Uma reunião de estudos.

Um livro a examinar.

Um relatório a compor para entrega no dia seguinte.

E antes que sejas rendido pelo cansaço ou tombes na exaustão das forças, surgem novas demandas em derredor de teus passos.

Alguns amigos de Jesus, situados no mundo a serviço D’Ele, raramente dormem no mesmo dia que acordam.

Sintonizados com o Amigo Incansável, porfiam em atividades incessantes em meio ao caos das vidas atribuladas dos dias que estamos atravessando.

Em tempo algum se viu uma sociedade tão agitada e ansiosa como a nossa.

Mil ocupações, azáfama do nascer ao poente, correria, agenda cheia, impaciência.

Muitos, a soldo das exigências da vida material, alegam não ter tempo para as reflexões das coisas espirituais. Os escassos servidores da nova era se vêem privados de recreio e refazimento, lazer e instantes de silêncio, inteiramente cercados de uma multidão de esfaimados da alma e desnutridos do espírito.

Solidão envolvendo em sombras muita gente.

O medo e o pânico aterrorizando comunidades inteiras.

Enfermidades cruéis, pandemia, insegurança alimentar, ausência de trabalho, incertezas do amanhã.

Uma sociedade barulhenta, que se agita desgovernada, tentando dizer do seu jeito que perdeu o rumo e a direção.

Religiosos apenas com discursos. Políticos sem ética. Economia nas mãos de poucos.

Sim, o quadro se apresenta grave, difícil, tormentoso, mas tem Jesus no leme da barca planetária. E em Seu nome, missionários e apóstolos descem periodicamente aos cenários das angústias humanas para espargir a esperança.

Aquele posta boas notícias.

Outro, levanta alguns caídos.

Este, semeia o otimismo.

Mais um outro discursa em favor da paz.

Ninguém tão pobre que não traga consigo um tesouro na alma. Pessoa alguma desprovida de uma lamparina que aponte caminhos libertadores aos cativos das sombras.

O Cristo conta contigo.

Te chamou desde o ontem longínquo. Recusaste o convite.

Ele, perene paciência, deixou que as ferramentas da vida te limassem a superfície grosseira, o terreno rude e a aridez de trato.

Hoje, tens uma razão porque viver: servir.

Talvez a sociedade terrestre te julgue um nada. Para Ele, tens um grande valor.

Te cuspiram na face. Ele te amparou na injúria, evitando tua reação inconsequente.

Te zombaram das atitudes adotadas. Ele aprovou tuas novas disposições e te aceitou cheio de defeitos e vícios.

A opinião descaridosa te acusou de oportunismo, leviandade e intenções escusas. Ele acendeu para teus olhos nova manhã, te ofertou o pão da vida abundante e te acendeu ao corpo exausto o lume das estrelas.

Teu descanso será breve.

Enquanto persistir no mundo a audácia dos maus, a impetuosidade dos intransigentes e a indiferença de muitos, Ele precisará de tuas mãos para produzir a seiva da vida abundante, depositando em muitos solos a mostarda esquecida.

E ela, em tempo oportuno, dará muitos frutos, tornando a existência rica de bênçãos, a caminho da felicidade sem fim.

Aceitas a invitação do Amigo Divino?

Autor: Marta (Espírito)
Psicografia: Marcel Mariano
Maceió, 18.09.2022

80 Visita(s) a esta matéria.