Escritor Divaldo Franco recebe título de Doutor Honoris Causa da UFPE

Divaldo Franco recebeu título de Doutor Honoris Causa em Pernambuco — Foto: Reprodução/TV Globo Divaldo Franco recebeu título de Doutor Honoris Causa em Pernambuco — Foto: Reprodução/TV Globo

O escritor Divaldo Franco, de 92 anos, recebeu da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) o título de Doutor Honoris Causa. O humanista e pacifista, reconhecido em todo o mundo por obras sociais, foi homenageado na noite desta quarta-feira (10), no Teatro Guararapes, no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda. (Veja vídeo acima)

Segundo a UFPE, a indicação de Franco foi feita pelo professor Saulo Santos, do Departamento de Prótese e Cirurgia Bucofacial, do Centro de Ciências da Saúde (CCS), e ratificado pelo Conselho Universitário.

A instituição justificou que o título foi entregue por causa das “realizações socioeducacionais e humanitárias praticadas pelo escritor e humanista e pelo amparo a pessoas marginalizadas.”

“Para mim, é um momento de grande honra, primeiro porque jamais aspirei a uma postura desse quilate. Depois, por se tratar da UFPE, uma das instituições mais veneradas do país. Isso tem um sentido de homenagear a doutrina que eu esposo”, afirmou, em entrevista à TV Globo.

Franco também falou sobre o seu trabalho. “Em realidade, eu não sou um escritor comum. Eu sou um psicógrafo. Através da interferência dos espíritos que de mim se utilizam, já consegui produzir mais de 300 obras literárias, de autores diferentes”, afirma.

Franco já foi contemplado com o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e Universidade Federal do Piauí (UFPI), proferiu mais de 15 mil palestras em 64 países e fez dez conferências na Organização das Nações Unidas (ONU).

Sobre a presença em Pernambuco, Divaldo Franco afirmou que o Recife é como sua segunda casa.

“Foi a primeira cidade que eu proferi uma conferência, aos primórdios, no dia 10 de agosto de 1952. Eu era muito jovem e proferi uma conferência no Teatro de Santa Isabel [no Centro]. De lá para cá, adotei o Recife como minha segunda casa, porque me tornei cidadão recifense, pernambucano, e agora esse título, que o magnífico reitor e os nobres diretores da faculdade me propiciam”, diz

Ainda segundo a UFPE, o homenageado vendeu mais de 10 milhões de exemplares, doando toda a renda para o Complexo Educacional da “Mansão do Caminho”, onde atende famílias em vulnerabilidade social.

Ele recebeu o título de embaixador da Paz no Mundo, na Suíça, e embaixador da Bondade, na Inglaterra.

Na carreira, Divaldo lembra ter passado por mais de 70 países e 3 mil cidades. Ele lembrou da figura de Allan Kardec, codificador do espiritismo.

“Peço licença para transferir essas homenagens a Allan Kardec, que foi o codificador do espiritismo. Eu sou, religiosamente, espírita, mas nós temos uma visão de um mundo melhor, que o mais importante não é a religião que se esposa, mas a conduta que se mantém em nome daquela religião”, declara.

156 Visita(s) a esta matéria.