A decisão final é unicamente tua.

Em chegando ao momento culminante do ano, como tantos outros, tu te deixas levar pelo travo amargo das lembranças penosas e das ocorrências difíceis.

Quantas lutas e tão pífios resultados!

Investimento naquilo que não prosperou.

Amores que chegaram devagar e partiram na velocidade da luz.

Afetos que a morte arrebatou em meio a momentos tão difíceis.

A escassez que castigou a confiança, a indiferença que violentou a amizade, a traição que te fez crer que a humanidade estava perdida e a causa quase ganha que te escapou por entre os dedos como areia fina.

Sim, tua memória, qual máquina fotográfica digital, anotou e registrou cenas que hoje fazem de ti uma pessoa pessimista, descrente, amarga, vencida.

De nossa parte, nenhuma tentativa de diminuir ou menosprezar o que passaste. Só tu sabes as lágrimas derramadas, as noites insones, a dor do abandono e a falta de chão debaixo dos pés.

Entretanto, nesse mesmo caminho percorrido, quantas paisagens te fugiram ao olhar.

Em instantes de crise, não viste a mão que te ofertava suporte e alento.

Blasfemando contra o sistema vigente, não deste conta que alguns caminhantes ao teu lado possuíam bem menos que tu e nem por isso se tornaram cisternas de vinagre.

Em ocasião alguma foste a um hospital, observar o velhinho que a família esqueceu, o menino sorridente que a amputação dilacerou e a mulher que viu a maternidade ser destroçada pelo óbito do filhinho tão aguardado.

Em tua estrada tinha muitos espinhos, mas a primavera te felicitou também com muitas flores.

A pandemia esvaziou alguns lares, aliás, milhares de lares. O teu, conseguiu preservar teus afetos e teus entes queridos aí estão, sãos e salvos.

Aquele sonho antigo não conseguiste realizar, mas outros projetos saíram do papel e algumas portas novas te facultaram ingresso em novas oportunidades.

Esqueceste de Deus nas alegrias e exigiste a interferência D’Ele nas ocorrências adversas. Em momento algum a Divindade te entregou à própria sorte, te acompanhando os passos até aqui e indo contigo além dessa hora.

Concordamos plenamente que a vida está muito agitada. Anuímos que o afeto esfriou em muitos corações.

Matrimônios ruíram quais castelos de areia em praias de instabilidade. Templos cheios, olhares vazios. Pessimismo em alta, medo na proximidade, gente de máscara, escondendo parte do rosto, mas o mundo não parou para indagar de tuas dores, a Terra continuou alimentando os filhos ingratos e o sol despejou luz e calor sobre justos e injustos.

Muita, muita gente não alcançou a data de hoje. Ficaram no meio do percurso e hoje não passam de saudades, antigas fotografias e bilhetes eletrônicos que serão ou já foram deletados.

Quem sabe hoje a gratidão te visite a alma. A constatação de que as bençãos foram maiores que as frustrações.

Mais dias felizes do que manhãs sombrias.

Tua alma se tornou mais generosa?

Tens cultivado um tantinho a mais de paciência nas horas graves?

Já consegues dialogar com pontos de vista diferentes do teus sem uma faca em cada mão?

Tens dedicado algum tempo ao cultivo da prece, do silêncio interior e das meditações otimistas?

Como andam tuas leituras – esquecidas ou algum livro repousa ao lado de tua cama?

Tuas audições musicais são as mesmas de sempre ou já consegues admitir Mozart, Beethoven e Boccherini em teu playlist?

O dia é propício ao perdão, revisão de atitudes, borracha nas ocorrências contrárias e reerguimento da esperança.

Substituir acusação por ajuda fraterna.

Implantação de uma nova agenda moral.

Rascunho de novos sonhos.

Entendimento em vez de crítica.

Sorria. Tem gente querendo se aproximar de ti e construir uma ponte que transponha esses abismos dos tempos modernos e dos relacionamentos líquidos, quase vaporosos.

Tens interesse nesse novo tempo ou preferes deixar como está?

Em qualquer situação, lembra-te D’Ele. Em vivendo nosso tempo, como abordaria Jesus as ocorrências do cotidiano?

Se a fragilidade te amedrontar, recorre a Ele. A rocha dos séculos te fará seguro ante o mar bravio.

Se teu barco periclitar nestas águas tempestuosas, Ele acalmará a fúria dos elementos em teu mundo íntimo.

A Jesus Cristo só está vedada uma posição: te substituir nas próprias lutas ou caminhar em teu lugar.

A decisão final é unicamente tua.

Autor: Marta (Espírito)
Psicografia: Marcel Mariano
Juazeiro, 31.12.2022

76 Visita(s) a esta matéria.